JACQUESSON – Um grande Champagne chamado 738

8 de dezembro de 2015 - 2 minutes read

Isso mesmo. Cada safra de seu Brut tem por referência um número. Nesse caso o 738.

Produtor de Champagnes artesanais, sua história começa em 1798 com Memmie Jacquesson. Teve a ajuda de seu filho Adolphe no desenvolvimento comercial e Jules Guyot no plantio e na gestão dos vinhedos. Esse último tem seu nome inscrito num dos métodos de poda mais utilizados nos dias de hoje.

Atualmente,  administrada pela família Chiquet,  é considerada a revelação dos grandes produtores da região de Champagne do fim do século XX. Produz champagnes intensos, robustos e com muito caráter.

le clos - champagne jacquesson

 

O 738 revela características de cada safra e utiliza 2/3 de vinhos da safra 2010. Sua composição é de 61% de Chardonnay, 21% de Pinot Meunier e 18% de Pinot Noir, todos provenientes de áreas de Grands Crus e Premiers Crus.

Suas premiações são a expressão de seu sucesso.

Jacquesson mereceu classificação máxima (3 estrelas) no guia “Revue du Vin de France 2016”. Produtor premiado no livro de Richard Jühlin (maior especialista de champagnes do mundo) com 5 estrelas entre apenas outros quatro.

Ficou em 1º lugar com nota 17/20 na “Revue du Vin de France” (ed. Dezembro 2015) entre os cinquenta “Brut” não safrados das maiores Casas de Champagne.

738 - jpeg

“Não se faz marketing para JACQUESSON. Tudo acontece no copo”. Isso resume o prestígio e paixão aos quais esse Champagne nos remete.